O Projeto Pedras Sabidas nasceu com a dissertação do pesquisador português Roberto Vaz, que procurou o nosso grupo de pesquisa (LavMUSEU.org), objetivando realizar o seu estudo de caso no Brasil. Roberto tinha interesses em desenvolver interfaces interativas. Nosso grupo, interesses em tecnologias assistivas. E assim, nasceu a parceria!

O protótipo da dissertação foi um sucesso e o projeto acabou se transformando-se em um Convênio Internacional de Pesquisa, coordenado por mim. Teve duração de 5 anos no total e contou com a participação de 37 profissionais e pesquisadores de cinco instituições do Brasil e de Portugal, além de 151 avaliadores. Desenvolveu como resultado principal o Circuito Acessível de Expositores Interativos, no Museu das Minas e do Metal, em Belo Horizonte.

O projeto foi premiado pelo Programa Ibermuseus, recebendo 10 mil dólares, que foram investidos na realização dos seus expositores inclusivos. Foi o único museu brasileiro contemplado pelo prêmio naquela edição (2016).

O projeto foi apresentando por mim no MuseWeb Boston 2019, em uma seção How-To, a convite do seu Comitê Organizador. O MuseWeb é o maior evento de cultura digital do mundo, acontecendo desde 1997.

O Pedras Sabidas também foi o único selecionado da América Latina para a publicação do Access Smithsonian, que reuniu em um e-book as melhores práticas e pesquisas em acessibilidade interativa digital. Foi, ainda, um dos três destaques do livro no Press Release do Smithsonian. O Access Smithsonian é referência mundial obrigatória para quem trabalha com acessibilidade para museus.

Confira no website do Pedras Sabidas uma cartilha completa sobre esta pesquisa e as demais publicações do projeto.

Este vídeo é o convite exibido pelos expositores, para que os visitantes do museu interajam com a interface.

Newsletter

Em breve teremos um newsletter mensal, com conteúdos exclusivos. Não repassamos seus dados a terceiros e não encaminhamos spam. Cadastre o seu melhor e-mail!  Saiba mais

    Assista também