Taxonomias no Tainacan

Link para o vídeo: https://vimeo.com/459755571/9c62421c7d

Transcrição

Neste vídeo vamos descobrir o que são as taxonomias e como cria-las no Tainacan.

Do grego, taxonomia vem de táxis – ordenação, grupo – e nomos – lei, norma, regra.

Consiste em métodos de classificar as coisas, por similaridades ou diferenças. Estes métodos remontam à antiguidade.

Aristóteles desenvolveu as primeiras taxonomias dos seres vivos. Também classificou diversos campos, como a filosofia.

Linnaeus é considerado o pai da taxonomia moderna. Estabeleceu sistemas avançados de classificação no campo da Biologia.

Charles Darwin, com suas publicações, revolucionou as teorias de seu tempo e a própria taxonomia das espécies.

Na contemporaneidade, as taxonomias estão em inúmeros campos do conhecimento e compõem a base da web semântica, envolvendo a criação de metadados ou termos para classificar e descrever conteúdos e objetos digitais, estruturar a arquitetura da informação de websites e coleções on-line, bem como sua navegação e seus sistemas de recuperação da informação.

Também estão associadas à mineração de dados, ao aprendizado de máquinas (machine learning) e a inteligência artificial. Praticamente todos as plataformas profissionais para a Web, das coleções aos comércios eletrônicos, utilizam complexas taxonomias em sua estrutura.

Recapitulando o que vimos no vídeo Coleções on-line: Visão Geral e Planejamento, para efeitos do Tainacan, a taxonomia é um tipo de campo especial, que gera termos clicáveis, que podem ser adicionados aos filtros de busca.

Quando clicamos no link de uma taxonomia, somos levados aos outros itens da coleção que também estão sob a mesma classificação, além de informações adicionais sobre aquele termo. Por exemplo, em nossa exposição didática, criamos uma taxonomia denominada Localização que lista todas as cidades dos museus inseridos em nossa coleção.

Quando clicamos em Londres, somos levados a uma página que lista os museus da coleção que se localizam na capital da Inglaterra e do Reino Unido. Neste sentido, a taxonomia cria, portanto, sua própria coleção de itens.

No alto, à esquerda, observamos uma imagem representativa deste termo, no caso, a cidade de Londres. Além da imagem, podemos inserir um texto explicativo, bastante útil no caso de termos que possam ser pouco conhecidos para os usuários em geral. É aqui também que podemos elucidar para os visitantes os termos de vocabulários controlados e ontologias.

Portanto, definir quais campos serão inseridos na coleção com este tipo de recurso do Tainacan – a taxonomia – é algo que demanda planejamento e, também, a seleção de imagens e conteúdos especiais acerca dos termos que pretendemos utilizar.

Para criarmos uma taxonomia, clicamos no menu lateral azul e, em seguida, no botão “Nova Taxonomia”.

Um formulário sobre a nova taxonomia se abrirá. Neste formulário, preenchemos o nome e descrição da taxonomia.

No Status, definimos se a nossa taxonomia será pública, se permanecerá privada somente para usuários logados e autorizados, se está em fase de rascunho ou se será descartada no lixo.

Como já vimos no vídeo sobre como criar coleções, o slug é a parte do endereço do website que aponta para um item específico, no caso, a taxonomia.

Podemos habilitar o uso da taxonomia também em outros conteúdos do WordPress, como posts de blog.

Por fim, definimos se os usuários logados e autorizados poderão inserir novos itens nesta taxonomia. Veremos mais sobre isto quando abordarmos os metadados.

Preenchidos todos os campos, clicamos em Salvar.

Passamos, portanto, para a segunda etapa: a criação dos termos de nossa taxonomia.

Vamos inserir, neste exemplo, o termo “Londres”. Para isto, acrescentamos uma imagem representativa do termo, uma breve descrição e definimos, ainda, se existem hierarquias entre os termos, se este termo estará subordinado a outro termo pai constante nesta mesma taxonomia.  Clicamos, ao final, em Salvar.

Nosso primeiro termo da taxonomia Localização está devidamente criado!

Caso tenhamos nossa taxonomia estruturada em uma planilha, os termos podem ser importados no menu lateral “Importadores” ou senão, repetimos o processo do termo Londres para inserir as demais cidades, uma a uma.

Agora que já adicionamos todos os termos necessários para nossa exposição on-line, a taxonomia Localização está pronta para ser utilizada quando formos criar os metadados de nossa coleção Museus de arte mais visitados do mundo.

Mas isto são cenas dos próximos vídeos, vamos rever agora as etapas da criação de Taxonomias.

Newsletter

Em breve teremos um newsletter mensal, com conteúdos exclusivos. Não repassamos seus dados a terceiros e não encaminhamos spam. Cadastre o seu melhor e-mail!  Saiba mais

    Assista também